PM é morto ao atender ocorrência da Lei Maria da Penha

Unknown | 17:06:00 | 0 comentários




Uma denúncia de violência doméstica desencadeou a morte de um policial militar no Itapoã. O agressor também acabou morto e a esposa ficou ferida. A perda de um colega causou comoção na Polícia Militar. O crime aconteceu na Quadra 312 do Condomínio Del Lago.


O que parecia uma situação corriqueira em que a polícia seria chamada para resolver um problema familiar virou tragédia. Na noite de anteontem, o Grupo Tático Operacional (GTOP) do 20º Batalhão da PM foi acionado para uma ocorrência. O agressor recebeu os policiais à bala e acertou o sargento Reinaldo Francisco Vieira, 40 anos. O disparo teria passado pela lateral do colete à prova de balas e atingido o coração de Reinaldo. No meio do fogo cruzado, a mulher, supostamente vítima de violência doméstica, teve o braço perfurado por uma bala.



Após a troca de tiros, o policial e a esposa do agressor foram levados ao Hospital Regional do Paranoá. O sargento não resistiu aos ferimentos e morreu durante o atendimento. Segundo a PM, a mulher estaria sem risco de morte. Ainda não se sabe qual teria sido o autor do disparo que atingiu a mulher.

Medo

Os relatos do que aconteceu na noite de sábado contam com poucos detalhes da tragédia. Vizinhos se mostraram acuados e relataram apenas ter ouvido os disparos.


Trajetória de dedicação


Durante o dia de ontem, as viaturas da Polícia Militar que patrulhavam a cidade do Itapoã traziam faixas pretas em sinal de luto pela morte sargento.


Reinaldo Francisco Vieira tinha 15 anos de serviços prestados à Polícia Militar do Distrito Federal. De acordo com colegas do 20º Batalhão, o sargento acumulava uma longa lista de elogios em seus registros e era instrutor de direção defensiva. O policial era casado e pai de dois filhos.


Em nota assinada pelo governador Rodrigo Rollemberg, foi prestada uma homenagem a Reinado. Rollemberg declarou estar “consternado”, assim como todo o governo.


“O sargento Reinaldo Francisco e equipe atenderam a um caso de violência contra a mulher, mas a rápida ação evitou aquele crime. Infelizmente, o preço foi a vida do sargento”, lamentou.


Corporação em luto com perda de profissional


A Polícia Militar afirmou se solidarizar com a perda e prometeu prestar toda a assistência necessária à família da vítima.


Em um texto disseminado nas redes sociais, a policial Alane Moraes expressou a dor pela perda do colega. Ela citou as dificuldades da rotina de policiamento e exaltou as qualidades do sargento Reinaldo Francisco Vieira. “Ele era um bom homem, um dos melhores, e seu assassino já tinha matado três e estava livre”, disse.


“Não é fácil voltar para casa, sem seu parceiro, sem seu maior exemplo, com seu maior amigo morto pelo inimigo sem a menor defesa. Respeitem a minha dor porque um ontem eu perdi um amigo na guerra das ruas do DF”, dizia outro trecho. As passagens pela polícia as quais o texto se referia não foram confirmadas pelo Centro de Comunicação da PMDF.


Velório


O corpo do sargento passou o dia de ontem no Instituto Médico Legal (IML), para a autópsia. O sargento será velado hoje, às 13h no Templo Ecumênico número 2 do Campo da Esperança, com enterro previsto para 16h. Os policiais se mobilizaram para usarem em branco durante o funeral, para pedir paz.


Saiba mais


Apenas em janeiro deste ano, pelo menos três servidores da Secretaria de Segurança foram mortos.
Diferentemente do caso do sargento, que atendia a uma ocorrência policial, em todos os casos, as vítimas estavam armadas e teriam tentado impedir a ação dos assaltantes.


Em Águas Lindas também tiveram homicídios, mas até o momento não foram repassados para a nossa equipe.


Fonte: Jornal de Brasília
Fotos: Whatsapp

Categoria:

Espalhe por aí

0 comentários