Muro cai sobre mulher e água invade imóvel do ‘Minha Casa, Minha Vida’

Unknown | 10:59:00 | 0 comentários

A servidora pública Carla Pereira de Sousa, de 22 anos, está indignada com a péssima estrutura de uma casa que financiou pelo programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida. Em menos de um ano, o imóvel localizado em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, apresentou diversos problemas. O último deles ocorreu no último dia 13, quando o muro desabou em cima dela durante uma chuva. Além de se machucar, a residência da jovem ficou alagada, destruindo vários móveis. Ela enviou fotos por meio no Vc no G1 relatando o caso.

Muro de casa cai após chuva de 10 minutos (Foto: Carla Pereira de Sousa/ Vc no G1)

Carla conta que mora no imóvel com o marido, Carlos Augusto Mendes Ramos, de 30 anos, desde o dia 27 de abril de 2013. Comprada da construtora Planalto Construções e Reformas, eles pagaram pela casa R$ 100 mil, valor que foi dividido em 300 parcelas.

Logo após se mudar para o local, eles começaram a perceber os defeitos. “Quando começamos a limpar a casa, vimos que estava dando choque. Se jogava água ou até mesmo passava pano molhado no chão dava choque”. O problema foi resolvido pela construtora após um mês.

Segundo a servidora pública, três meses depois da aquisição, várias paredes apresentavam rachaduras. “Foi uma luta para resolver isso. Queriam que a gente entrasse na Justiça para pedir o conserto, mas acabou que eles [construtora] arrumaram”, contou Carla.

Carla se machucou com queda de muro
(Foto: Carla Pereira de Sousa/Vc no G1)
As rachaduras do muro de arrimo apareceram em seguida. O casal relata que por seis meses tentou resolver o problema. “Estava chovendo há uns 15 minutos. Começou a vazar pelo muro uma água barrenta. Meu marido pegou a escada para ver o que estava acontecendo do outro lado. No que eu subi na escada, que estava apoiada no muro, ele desabou”, diz Carla. Com ferimentos na cabeça e arranhões, a mulher foi socorrida e passa bem.

Conforme a servidora pública, eles procuraram a construtora Planalto Construções e Reformas, mas, mais uma vez, a empresa os informou que não vai arrumar o muro. Desempregado, Carlos teme mais alagamentos no imóvel, que está desprotegido. “Não tenho condição de arrumar. Estamos vivendo com o salário da minha mulher. A gente teme que algo pior aconteça”, ressalta.

Lama invade água e destrói móveis de casa (Foto: Carla Pereira de Sousa/Vc no G1)

Nota da Redação: Procurada pelo G1, a empresa Planalto Construções e Reformas não atendeu às ligações até a publicação da reportagem.

Já a Caixa Econômica Federal informou que financiou a aquisição de um imóvel pronto, na qualidade de instituição financeira. Por este motivo, não acompanhou a execução das obras que é de responsabilidade da construtora e de seus responsáveis técnicos. Nestes casos, como é procedimento de praxe do mercado, técnicos do banco apenas avaliaram o imóvel para fins de definição do valor da garantia e do limite do financiamento e, na época desta avaliação, não existiam problemas aparentes.

Segundo a Caixa, eventuais vícios construtivos são de responsabilidade da construtora, que deverá ser acionada pelos moradores. O banco informou ainda que a Construtora Planalto Construções e Reformas já foi incluída em um cadastro restritivo e já está impedida de realizar novos financiamentos. O canal exclusivo de comunicação com os clientes do Minha Casa Minha Vida está disponível via telefone 0800-721-6268 e também por meio das agências da Caixa.

Fonte: G1/TV ANHANGUERA – Goiás

Categoria:

Espalhe por aí

0 comentários